terça-feira, agosto 08, 2006

Lembranças

"Lembras-me uma marcha de Lisboa
Num desfile singular.
Quem disse
Que há hora e momento para se amar?
Lembras-me uma enchente de mare,
Com uma calma matinal.
Quem foi, quem disse
Que o mar dos olhos tb sabe a sal.
As memórias são como livros escondidos no pó,
As lembranças são os sorrisos que queremos rever devagar.
Queria viver tudo numa noite
Sem perder a procurar
O tempo ou espaco
Que é indiferente pra poder sonhar.
As memórias são como livros escondidos no pó,
As lembranças são os sorrisos que queremos rever devagar.
Quem foi que provocou vontades e atiçou as tempestades e
Amarrou o barco ao cais?
Quem foi que matou o desejo e arrancou um lábio ao beijo e amainou os vendavais?
As memórias são como livros escondidos no pó,
As lembranças são os sorrisos que queremos rever devagar."
Memória de um beijo, Trovante

(a por foto um dia que comece a digitaliza-las...)

2 comentários:

Sarrabiscos disse...

Bonito!

M&M disse...

Adoro esta música e esta letra, mas como autor há 1 coisa que me irrita bastante... É não dar o nome aos bois. Neste caso...Interprete: Trovante Música:João Gil Letra:Luís Represas.
Um autor a "defender" os autores... Desculpem lá mas é que assim fica mais bonito e mais correcto.

Miguel