terça-feira, agosto 29, 2006

Poesia


"Gastei uma hora pensando em um verso
que a pena não quer escrever.
No entanto ele está cá dentro
inquieto, vivo.
Ele está cá dentro
e não quer sair.
Mas a poesia deste momento
inunda minha vida inteira."

Carlos Drummond de Andrade

cá vai um bocadinho... hope you enjoy it!!!



Lua de sabão
"sabes o que eu gostava?
ter fôlego suficiente para fazer uma lua de sabão
redonda, frágil mas intocável
cheia, brilhante mas permanente
nostalgica, romântica mas sorridente
distante, rara mas memorável

uma dessas luas que fazem sonhar
dessas luas que nos lembram que estamos vivos
dessas luas que nos trazem à memória
momentos lindos jamais esquecidos

E depois, sabes o que eu queria?
conseguir rebentar todas as outras luas feitas de lágrimas
aquelas que nos magoam e fazem chorar
que nos lembram que não é assim que queremos estar
..sozinhos, tristes e a pensar que queriamos ter alguém para nos abraçar
aqui, agora, já

antes que este luar
(aquele que ainda é lindo e transparente como uma bola de sabão)
desapareça para sempre
ofuscado pelo eclipse daquele outro
que teima em nos fazer chorar..."
ML Setembro de 2004

1 comentário:

Yola disse...

Assinado???? Estou tão orgulhosa! Já gostava antes e continuo a gostar. E mais?